pub
pub
Notícias

Aprenda a combinar cerveja e queijo

por
03 Sep, 2012

Foto Iara VenanziA cerveja continua a ser a companhia imbatível para petiscos de boteco. Mas, de alguns anos para cá, ela ganhou espaço onde antes os vinhos reinavam absolutos. Eventos de harmonização de queijos e cervejas não soam mais como maluquice de quem bebeu além da conta.

Pelo contrário: a cada ano, aumenta o número de fãs dessa combinação. Apesar de ainda ter ares de novidade por aqui, a união de loiras (e ruivas e morenas) com queijos é um caso de amor antigo. “São muitos os países que produzem queijos de qualidade e que não possuem condições adequadas para o cultivo de uvas vitiviníferas, como a Grã-Bretanha e a Holanda”, diz o maître fromager Jair Jorge Leandro. Por outro lado, esses lugares fabricam cervejas especiais há séculos. Nada mais natural do que servir juntos os dois produtos de excelência.

Razões para esse casamento dar certo não faltam: a carbonatação (gás) da cerveja ajuda a limpar as papilas gustativas e a cortar a gordura do queijo, explica a beer sommelière Carolina Oda, da importadora Tarantino. A variedade de cervejas possibilita tanto harmonizações por contraste (bebida adocicada e queijo salgado, por exemplo) quanto por similaridade (notas amendoadas em ambos os elementos).

E há ainda o argumento de que a cerveja nada mais é do que o pão líquido, lembra Carolina, ou seja, o par perfeito para um bom naco de laticínio.Ficou animado para chamar os amigos e pôr as teorias em prática? Para ajudar você nessa empreitada, Casa e Comida fotografou um encontro comqueijos e cervejas no apartamento do arquiteto Nelson Kabarite, com muitas ideias de decoração. Se quiser incrementar a noite, prepare as receitas do chef João Belezia, do bufê que leva seunome, especialmente pensadas para acompanhar a bebida. A reportagem traz ainda dicas de harmonização dos especialistas e sugestões de rótulos. Aproveite as indicações, mas não se reprima: o mais bacana dessas reuniões é descobrir as suas combinações favoritas

Foto Iara Venanzi

Cervejas especiais merecem um recipiente à altura. Gaveta de metal Benedixt, jogo americano redondo Roupa de Mesa
Bolachas numeradas Maria Lembrancinha identificam a cerveja da vez
Dicas para a harmonização
1. Quanto mais forte for o queijo, mais potente deve ser a cerveja. “Quando falamos em potência na cerveja, falamos em álcool e amargor”, diz a especialista Carolina Oda.
2.Comece sempre com cervejas mais leves e queijos mais suaves, para depois ir para os rótulos mais encorpados e queijos mais fortes.
3.Para todo mundo sair da degustação “inteiro”, limite o número de rótulos a cinco. Uma boa medida é beber de 150 mla 200 ml de cada tipo de cerveja.4.Tenha pelo menos três tipos de queijo: um adocicado e/ou frutado (estepe, gruyère e em mental, por exemplo), um mais salgado (parmesão) e outro com fungos (brie, camembert).
5. Sirva água à vontade durante a degustação. Ela serve tanto para limpar o paladar como para amenizar os efeitos do álcool.
6.A temperatura de serviço das cervejas varia de 2 oC a 14 oC. Quanto mais alcoólica e complexa for a bebida, menos refrigeração ela pede. A recomendação para uma porter, por exemplo, costuma ser de 8 oC a 12 oC. Já uma pilsen cai bem estupidamente gelada.

Foto Iara Venanzi

Lâminas certas – Uma impressão feita em casa ajuda a identificar a faca adequada para cada queijo. Moldura Tok & Stok, conjunto de facas Spicy e grana padano com mel trufado
Tipo de queijo
Harmonização
Rótulos sugeridos
Fresco (minas, burrata) Queijos leves, com sabor sutil, pedem cervejas tão leves quanto eles, como os tipos pilsen e kolsch Bernard Celebration
De cabra Cervejas com certa acidez harmonizam por semelhança com as notas ácidas dos queijos de cabra. Exemplos: weissbier, witbier, saison e pilsen Weihenstephaner, Hoegaarden, Baladin Wayan
De mofo branco(brie, camembert) Assim como esses queijos combinam com geleias, cervejas do tipo fruit beer, weissbier, witbier e saison fazem um bom casamento com eles, porque trazem a acidez que uma compota de frutas ofereceria Baladin Isaac, Del Ducato New Morning, Weihenstephaner, Erdinger
Semiduros(gruyère, emmental, gouda) Cervejas com boa presença dos sabores de malte, teor alcoólico levemente elevado e suave doçura harmonizam com o maior teor de gordura dessa categoria de queijos, que podem trazer notas amendoadas. Exemplos: bock, pale ale, blond ale, brown ale, weizenbock Rogue Dead Guy Ale, Brooklyn Brown Ale, New Castle, Eisenbahn Weizenbock, Eisenbahn Pale Ale, Batemans XXXB, Leffe Blond
Duros (parmesão, grana padano, pecorino) Queijos bem gordurosos e salgados pedem cervejas com alto teor alcoólico e bom corpo. Cervejas adocicadas, como Belgian strong ale, tripel e doppelbock, harmonizam por contraste. As com notas tostadas, como stout e porter, vão bem pela combinação do sabor tostado com o salgado. Já as lupuladas (com mais amargor), como India pale ale, ajudam a limpar o paladar da intensidade e da gordura do queijo Achel Blond, Baladin Mielika, Baden Baden Stout, Guinness, Eisenbahn Strong Golden Ale, Paulaner Salvator
Azuis(gorgonzola, roquefort, stilton) Como são bastante intensos, gordurosos e salgados, os queijos azuis pedem uma cerveja com boa estrutura para equilibrá-los. O salgado pede doçura ou torrefação. A gordura pede amargor ou álcool, para limpar as papilas gustativas. Exemplos: Belgian strong ale, porter, stout, strong golden ale, tripel, barley wine Rochefort 10, Colorado Demoiselle, Old Engine Oil, Chimay Cinq Cent, Tripel Karmeliet, Westmalle
Defumados(provolone) A combinação de uma cerveja defumada, como a rauchbier, com um queijo defumado é apaixonante para quem gosta desse estilo, interessante para curiosos e um bom acompanhamento para os que fumam charuto Bamberg Rauchbier

 

Foto Iara Venanzi

No papel – Faça fichas de degustação e providencie lápis para todos anotarem suas impressões. Potes ArtMix, lápis Papel Craft; Saideira – Na despedida, os convidados levam cervejas com sugestões de harmonização escritas na embalagem de papel kraft
Fonte: Revista Casa e Comida; Carolina Oda, sommelièrede cerveja da importadora Tarantino; Guilherme Costa, sommelier de cerveja do Melograno; e Disney Criscione, gerente de relações institucionais da Tirolez e queijólogo

Texto Patricia Oyama | Fotos Iara Venanzi | Realização Cláudia Pixu | Produção Henrique Morais

Veja também os relacionados:

27 Sep 2017
26 Sep 2017
26 Sep 2017

Deixeo seu comentário